quarta-feira, 15 de abril de 2009

Torcicolo Muscular Congênito


É a contratura unilateral do músculo esterno-Cleido-mastoideo, na qual a cabeça está desviada para o lado do músculo encurtado e o queixo(mento) rodado para o lado oposto. Mais comum em meninas.

Etiologia:

A causa primária é uma fibrose no músculo esterno-cleido-mastoideo que se contrai e encurta. Partos pélvicos e à forceps são parte da história em muitos casos. Acredita-se que haja ruptura muscular seguida por fibrose. O lado direito está envolvido em 75% dos casos; 20% dos torcicolosassociam-se a Luxação congênita do Quadril. Pode-se até dizer em má postura intra-útero.

Patologia:

A lesão é branca e brilhante composta por tecido fibrose denso, sem hemorragias. Há células
gigantes musculares, perda das estriações tranversais, vacuolização e ruptura da baínha do endomísio.

Clínica:

A deformidade pode estar presente ao nascimento ou aparecer por volta da 2ª e 3ª semanas. A mobilidade do pescoço está limitada. Há uma nodulação palpável fusiforme no músculo. O envolvimento pode ser esternal ou clavicular. Há um alargamento gradual durante as 4 semanas seguintes; após inicia-se uma regressão e desaparecimento gradual em 2 a 6 meses. Se não tratado, pode deformar os ossos da face por compressão.

Diagnóstico:

A característica além da inspeção, palpação do nódulo fibrótico. Pode-se achar co-morbidades com relação à má postura intra-útero. O Rx é normal
Diagnóstico diferencial com Síndrome de Klippel-Feil.


Tratamento:

Manipulações por estiramento passivo do músculo contraturado. Criança no colo em supino, com pescoço em hiperextensão. Faz-se exercícios e mantém na posição conseguida por 10 segundos, vária vezes ao dia. Colocar no berço a criança com a face voltada para a parede, para atrair a atenção e aplicar mobilidade ativa. Evitar a posição prono durante o sono. Se estes exercícios forem suficientes , não se aplica cirurgia.

A Cirurgia está indicada quando o torcicolo não responde às medidas conservadoras até o limite de 1 ano de idade., ou por falta diagnóstica até esta idade. Não se consegue estiramento após 1 ano de idade, limitação de rotação de 30º e assimetria facial estabelecida.

Técnicas:
1- Secção ou excisão parcial do músculo (Miotomia Distal).

2- Miotomia Proximal(Tillaux e Lange)- técnica mais difícil, porém com resultado estático melhor.

3- Alongamento em "Z" da inserção esternal, excisão parcial na clavicular.

4- Excisão completa do Músculo (adolescentes)

5- Uso de órteses pós-cirúrgicas.